sábado, 17 de agosto de 2019

Proteção à criança e ao adolescente é tema no 2º dia do CONCPC



Temas de grande interesse nacional são discutidos no 54º Encontro do Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil (CONCPC), que acontece na Bahia, no Hotel Wish. No segundo dia do encontro, quinta-feira (15), palestras e debates trataram sobre o fortalecimento das polícias judiciárias, a proteção à criança e ao adolescente, entre outras pautas.
A delegada-chefe da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), Ana Cristina Melo Santiago, foi uma das palestrantes do dia. Com o tema “Pacto Nacional pela Implementação da Lei nº 13.431/2017” os participantes debateram a padronização do trabalho das polícias civis em relação ao depoimento especial de crianças e adolescentes, vítimas ou testemunhas de violência.
A delegada da Polícia Civil do Sergipe, Danielle Garcia Alves, apresentou o Programa de Fortalecimento das Polícias Judiciárias, enquanto o delegado Igor Montezuma, diretor de Gestão de Ativos da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), abordou sobre “Política de Alienação e Administração de Bens Apreendidos”.
O “Fomento à Criação e Estruturação das Unidades de Combate à Corrupção nas Polícias Civis” foi o tema apresentado pelo delegado federal Duílio Mocelim Cardoso, coordenador-geral do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), da Secretaria Nacional de Justiça (SNJ).
Durante o evento, o presidente do CONCPC, delegado Robson Cândido da Silva, exaltou a importância do trabalho dos servidores das polícias civis. “Desejo que a gente continue com esse processo de fortalecimento e isso passa muito pela base dessas instituições, que é o trabalho dos investigadores, escrivães e servidores administrativos das polícias civis. Essa base é a coisa mais forte que nós temos. Por isso eu agradeço a Dr. Bernardino e a todos policiais civis da Bahia”, comentou.
O delegado-geral da PCBA, Bernardino Brito Filho, classificou o dia como altamente produtivo. “Tivemos um segundo dia com ricos debates, sobre tantos temas, que são demandas da nossa população, e podemos, assim, trocar experiências e discutir ações. Tudo isso só contribui para o aperfeiçoamento das polícias civis e uma sociedade mais segura”, afirmou.
Ascom-PC / Tony Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário