quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Minha Nova Escola: programa que prevê R$ 1,2 bilhão em investimentos já está transformando unidades de ensino

Fotos: Julio Cavalheiro/ Secom

A educação inovadora, um dos pilares do programa Minha Nova Escola, lançado há um mês pelo Governo de Santa Catarina e que prevê R$ 1,2 bilhão em investimentos na educação, está se tornando realidade em unidades de ensino de todas as regiões catarinenses. Até o momento, 456 unidades de ensino já receberam equipamentos de tecnologia, de um total de 611. São dispositivos como tablets, notebooks, computadores e lousas digitais.
A modernização das salas de aula é uma determinação do governador Carlos Moisés, que pretende colocar Santa Catarina como referência na preparação dos jovens para o futuro. “O Banco Econômico Mundial prevê que duas em cada três crianças de hoje vão trabalhar com profissões que ainda não existe, mas serão criadas com a tecnologia. Precisamos dar aos nossos estudantes o que é necessário para ter sucesso nesse ambiente de transformações, e um dos primeiros passos é atualizar as salas de aula”, afirma Moisés.
Esse processo de transformação não consiste apenas em comprar dispositivos eletrônicos. De acordo com o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, há série de ações coordenadas para que os equipamentos se traduzam em evolução na qualidade de ensino. Uma outra frente de trabalho, por exemplo, é melhorar o acesso à internet das escolas em que há essa possibilidade. “Estamos capacitando nossos professores, porque queremos que os laboratórios sejam usados por todos eles, em todas as disciplinas. Também vamos oferecer um por meio dos Núcleos de Tecnologia Educacionais (NTEs), existentes nas regiões”, explica Uggioni.
No total, serão entregues 2,7 mil notebooks e 3 mil tablets em 611 escolas. A gestão escolar e o trabalho dos professores receberão um reforço de 5.415 computadores. Além disso, 1.056 escolas receberão um kit com lousa digital, computador, projetor, webcam e aparelho de som. Para manter os notebooks e tablets com a bateria carregadas, 171 gabinetes móveis de recarga também estão sendo distribuídos.

Escolas mais tecnológicas
Na Escola de Educação Básica Intendente José Fernandes, em Florianópolis, 20 notebooks já chegaram, assim como o gabinete móvel de recarga. A escola aguarda a chegada de 20 tablets, prevista para os próximos dias, mas os alunos já puderam sentir um pouco de como será o novo laboratório de tecnologia.
“Eu já uso celular e computador no meu dia a dia, para acessar a internet, redes sociais e fazer pesquisas. A tecnologia é muito importante na escola, porque vai fazer parte cada vez mais das nossas vidas”, prevê a aluna Ana Júlia Meotti Ramos, do sétimo ano. “A internet torna muito mais rápido o acesso às informações para fazer os trabalhos, por isso, com ela, fica muito mais fácil aprender. A escola com tecnologia fica mais com a minha cara, com certeza”, concorda a estudante Grazieli de Oliveira Coelho, do sexto ano.
Conforme a diretora, Valquíria Maria Luvison, a nova sala será uma aliada para as práticas pedagógicas. “Agora temos uma estrutura muito mais preparada, uma escola conectada, com acesso à internet em todos os locais. A tecnologia vai auxiliar muito os alunos na preparação para o mercado de trabalho. Nossa escola estava muito defasada, agora não mais”, enaltece.
Perto dali, a Escola de Ensino Médio Jacó Anderle recebeu nesta semana dez computadores para a gestão escolar e professores, e aguarda a chegada de 20 notebooks e 20 tablets, prevista para os próximos dias. De acordo com o diretor, Alexsander Fortkamp, a escola tem planos de abolir a realização de provas em papel. “Os equipamentos vão ser de muita valia para a escola, para aproximar professores e alunos do mundo digital, sem serem apenas usuários, mas também produtores de conteúdo”, afirma Fortkamp.


Minha Nova Escola
Só com o eixo da escola inovadora, estão programados investimentos de R$ 92 milhões apenas para o segundo semestre. São R$ 39 milhões para a compra dos equipamentos de tecnologia, R$ 32 milhões em obras literárias para compor o acervo das bibliotecas escolares, R$ 9,4 milhões em equipamentos para 57 laboratórios de matemática, química, física e biologia, R$ 8,8 milhões em mobiliários para esses mesmos laboratórios e outros 12 auditórios e, para finalizar, R$ 2,5 milhões em novos cursos no contraturno escolar.
No total, o programa Minha Nova Escola prevê R$ 1,2 bilhão. Todas as 1.071 escolas da rede estadual serão contempladas com alguma melhoria. Os investimentos estão divididos em cinco vetores: Educação Inovadora, Infraestrutura Escolar, Gestão Total, Qualificação Permanente e Além da Escola (transporte).
Do total a ser aportado, a maior parte dos recursos — aproximadamente 74% — será aplicada nos investimentos em infraestrutura. Segundo o secretário Natalino Uggioni, esse quesito não recebeu a devida atenção ao longo dos últimos 30 anos e, por conta disso, chegou a hora de investir fortemente.
Renan Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário