sábado, 13 de julho de 2019

Janaina Paschoal defende que Eduardo Bolsonaro recuse convite



Folhapress - Sem questionar capacidade ou possibilidade jurídica, Janaína defendeu que ele fique como deputado.
Para Janaina Pascoal, o “povo precisa ser respeitado” em referência à numerosa votação obtida por Eduardo.
Em uma série de publicações em rede social nesta sexta-feira, a deputada estadual de São Paulo Janaína Paschoal (PSL) defendeu que Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) recuse o convite para assumir a embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos.
"Muito se está a falar sobre eventual nepotismo, sobre capacidade, sobre ser necessário (ou não) integrar a carreira diplomática. Mas eu analiso a questão sob outro ângulo. O que pensam os quase dois milhões de eleitores do Deputado?", afirmou em uma das publicações.
A deputada disse não questionar a capacidade do filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), nem a possibilidade jurídica, mas afirmou que, por ter conquistado muitos votos -ele foi o deputado mais bem votado da história- e levado deputados para a Câmara, ele teria uma posição de liderança e precisaria exercer esse papel.
Estou aqui pensando. Aliás, venho pensando desde o anúncio. Será certo o Deputado Federal mais votado abandonar o mandato, para ir para os Estados Unidos? Onde Eduardo Bolsonaro é mais útil para a nação? Na Câmara, ajudando a aprovar medidas necessárias, ou no exterior?
"Eduardo tem muito a fazer na Câmara e na Presidência Estadual do PSL. Sei que o convite é muito tentador. Mas o certo é recusar. Ele assumiu responsabilidades no Brasil. Precisa cumprir. Basta agradecer a deferência e declinar."
Ela concluiu afirmando que o povo "precisa ser respeitado". "Quem fez Eduardo Bolsonaro Deputado Federal foi o povo. Isso precisa ser respeitado. Crescer, muitas vezes, implica dizer não ao pai."
O presidente anunciou na quinta (11) que decidiu indicar seu filho Eduardo Bolsonaro como embaixador do Brasil nos Estados Unidos. "Da minha parte, eu me decidi agora, mas não é fácil uma decisão como esta estando no lugar dele e renunciando ao mandato", disse ele em entrevista a jornalistas.
O presidente afirmou que o filho fala inglês com fluência, tem boa relação com a família do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e "daria conta do recado perfeitamente".
"É uma coisa que está no meu radar, sim, e existe a possibilidade. Ele é amigo dos filhos do Donald Trump, fala inglês e espanhol, tem uma vivência muito grande do mundo. Poderia ser uma pessoa adequada e daria conta do recado perfeitamente", ressaltou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário