sexta-feira, 14 de junho de 2019

Polícia Civil conclui inquérito e identifica candidata à vereadora em 2016 como responsável pela morte de idosa no ano de 2017



MARACAJU (MS) - A Delegacia de Polícia Civil de Maracaju concluiu o Inquérito Policial que investigava a morte de uma mulher, posteriormente identificada como Lídia Ferreira de Lima (61), cujo corpo foi encontrado queimado a beira da rodovia MS 162, na manhã do dia 27/02/2017. A Polícia Civil identificou como autoras do crime, Karina Beatriz Ferreira de Lima (45) e Sherry Silva Maciel (35).
O procedimento investigado teve início sem a devida identificação do corpo encontrado, motivo pelo qual requisitou-se a vários órgãos de identificação. Após um ano, um familiar realizou confronto das impressões digitais e foi possível identificar a vítima como Lídia Ferreira de Lima que na época possuía 61 anos de idade.
Conforme as investigações, a vítima estaria passando por problemas psicológicos devido a uma doença que enfrentava aliado a dor que sentia com a morte de sua genitora quando conheceu Karina Beatriz Ferreira de Lima (45) em um centro religioso, e aproveitou-se da fragilidade mental da vítima e a levou para sua casa, na cidade de Sidrolândia, ciente de que ela possuía uma aposentadoria e era herdeira de um espólio.
Com o tempo, Karina ganhou a confiança de Lídia, a passou a cuidar dos assuntos particulares da vítima, como transações e saques bancários.
A vítima morou na residência da Karina por mais de dois anos e era mantida reclusa em um quarto que fica nos fundos da residência.
A família da vítima ingressou com ação de interdição e Karina Beatriz previu a possibilidade de ser responsabilizada por vários crimes e iniciou seu plano criminoso para matar a vítima, incutindo falsas informações sobre a vítima para a família e demais pessoas daquela cidade de Sidrolândia, tais como de que a vítima possuía namorado em Maracaju e estaria indo morar com ele. Desta forma, criando um plano para posteriormente justificar sua morte.
Conforme consta no Inquérito Policial, as indiciadas teriam ministrado alguma substância que fez a vítima dormir e em seguida a enrolaram em plástico filme que obstruiu as vias aéreas e levando à morte da vítima por asfixia.
As indiciadas colocaram o corpo da vítima no banco da frente do carro de Karina e percorrem vários quilômetros pela rodovia até chegar próximo a esta cidade de Maracaju onde desceram o corpo do veículo, jogaram substância inflamável e atearam fogo no corpo para dificultar sua identificação.
Diante das provas da investigação, a Autoridade Policial representou pela prisão das indiciadas Karina e Sherry as quais foram cumpridas entre os meses de abril e maio de 2019 e em seguida interrogadas, sendo que as indiciadas imputam uma a outra a autoria do crime.
Publicado por: Valmir Roberto Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário