quarta-feira, 29 de maio de 2019

PM é suspeito de agredir e matar violinista na Grande São Paulo



Rian Rogério dos Santos tinha 18 anos e morreu no último dia 21. Foto: Arquivo Pessoal

Giorgia Cavicchioli,Yahoo Notícias - O serralheiro e violinista Rian Rogério dos Santos, de 18 anos, morreu em um acidente de moto no último dia 21 perto da Escola Estadual Professor Natalino Fidêncio, em Carapicuíba, Grande São Paulo. De acordo com testemunhas e parentes da vítima, ele teria se acidentado depois de ter sido agredido por um policial militar.
Nesta segunda-feira (27), Rogério dos Santos Souza e Maria do Carmo Almeida da Silva, pais do jovem, estiveram Ouvidoria das Polícias para pedir que a morte do filho seja investigada. Segundo o depoimento, Rian foi até a escola a pedido de uma amiga depois que saiu do trabalho, por volta de 19h.
Ele usava uma moto para chegar até o local e usava capacete. Porém, ele teria sofrido uma agressão de um policial que fazia ronda escolar na região. De acordo com o depoimento, ele foi atingido por um golpe na cabeça e ficou desorientado.
Essa confusão mental teria feito com que o jovem perdesse o controle da moto e acabasse atingindo um muro. Os ferimentos causados no acidente com a moto fizeram com que ele não sobrevivesse. Os pais do jovem dizem que, além disso, o socorro demorou mais de 30 minutos para chegar ao local.
Testemunhas afirmaram que o socorro foi chamado pelos presentes no local e não pelos policiais que participaram da ação. Uma delas teria chegado a questionar os PMs, que teriam respondido que não “deviam satisfações para ninguém”, entrado na viatura e ido embora.
Ligação - De acordo com o registro do depoimento, a mãe de Rian teria ligado para ele por volta das 19h. Ela, no entanto, foi atendida por uma pessoa que não se identificou e que disse que o filho dela estava caído na rua e sem consciência.
A mãe dele foi, então, até o local e encontrou Rian ainda caído no chão. O capacete dele estava nas mãos das testemunhas. Ela conseguiu recuperar o objeto, mas o celular de Rian não foi achado depois da ocorrência.
A moto que Rian usava era do irmão dele e foi liberada para o proprietário sem que fosse feita uma perícia no veículo.
Policiais afastados - De acordo com a versão dos policiais que atenderam a ocorrência, o jovem estava sem capacete. Porém, imagens de câmera de segurança mostram que Rian usava o equipamento, o que contraria o que foi dito pelos agentes. (Veja vídeo abaixo).
A reportagem questionou a SSP (Secretaria da Segurança Pública) sobre o caso. Por meio de nota, a pasta disse que “todas as circunstâncias envolvendo a ocorrência são investigadas” por meio do inquérito policial no 1º DP (Distrito Policial) de Carapicuíba.
Além disso, também foi informado que a Polícia Militar instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar os fatos e que a Corregedoria da corporação acompanha as investigações. Os dois PMs envolvidos no caso foram afastados do serviço operacional e só tiveram os primeiros nomes divulgados: Alexandre e Cássio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário