terça-feira, 21 de maio de 2019

Bradesco: conexão com o assédio

O Bradesco lançou um programa “Conexão” onde relaciona diversos indicadores (crédito pessoal, consignado, seguros, consorcio, etc), com o objetivo das metas serem cumpridas em interseção por todas as unidades.
A cobrança pelo cumprimento dos objetivos tem sido rigorosa, cáustica, humilhante, beirando a ameaça: ou bate, no mínimo, 15 dos 37 indicadores do programa, ou a candidatura à perda do perfil gerencial está aberta.
Esse é o procedimento que a direção do banco está impingindo às gerências regionais que repassam aos gerentes das agências e, por sua vez, replicam aos subordinados.
Tal atitude tem levado o ambiente de trabalho a um clima infernal, constrangedor e estressante.
Não é com intimidação que se conquista o trabalhador ao empenho e entusiasmo ao desempenho das tarefas e sim com respeito, fraternidade, espírito de equipe e remuneração digna pelo resultado da produção.
Alertamos para que os gerentes não levem às suas equipes o terror, nem assumam em nome da direção do Bradesco o papel de algozes.
Bancários exigem consideração e hombridade. Afinal, são os responsáveis pela obtenção dos bilionários lucros do Bradesco (“apenas” 19 bilhões em 2018).
Bancarios Itabuna

Nenhum comentário:

Postar um comentário