quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Cinzas de queimadas alteram composição química do solo e afetam qualidade da água

Apesar do avanço da tecnologia, ainda é bastante comum o uso de técnicas primitivas na atividade agrícola, como o fogo. Em entrevista ao programa Conexão Ciência, o pesquisador da Embrapa Cerrados Eduardo Cyrino de Oliveira Filho falou como as cinzas de queimadas podem ser prejudiciais para o solo e para água.
De acordo com estudo realizado no âmbito do projeto “Queimadas e recursos hídricos”, a presença das cinzas das queimadas altera a composição química do solo e pode alterar o PH e o oxigênio quando elas atingem a água dos rios. “Esses dois parâmetros são fundamentais para a sobrevivência de algumas espécies. Testamos peixes, microcrustáceos e moluscos e os dois primeiros foram as espécies mais prejudicadas”, relatou o pesquisador, que explicou ainda que as cinzas podem causar o entupimento das vias respiratórias desses animais.
Numa segunda etapa do projeto, os cientistas analisaram a questão comportamental. A ideia era entender a motivação dos agricultores para o uso do fogo. Segundo a pesquisa realizada, os principais fatores são a queima de lixo e a limpeza do terreno. “Muitos disseram que sabiam dos danos que o fogo pode causar ao meio ambiente, mas que era algo mais prático e mais barato”, ressaltou. De acordo com Eduardo Cyrino, apesar disso, eles demandam por mais orientações sobre as técnicas mais adequadas a serem aplicadas no campo.
Assista aqui a entrevista na íntegra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário