terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Primeira Rebelião 2018 em prisão de Goiás deixa pelo menos nove reclusos mortos e 14 feridos

Portugal Digital


O motim teria resultado de divergências entre grupos rivais de presos, de acordo com a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap). Os reclusos atearam fogo a instalações e nove morrerem carbonizados.Mais de uma centena de presos evadiram-se durante o motim e até à noite de segunda-feira 29 já tinham sido recapturados.
A Seap destacou ainda que 106 presos fugiram no momento da rebelião, sendo que 29 já foram recapturados. Outros 127 deixaram o presídio por conta da confusão, mas retornaram voluntariamente quando a situação se acalmou.
O Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa) recebeu 11 presos feridos durante a rebelião. Entre eles, “nove encontram-se estáveis, apesar de terem sofrido diferentes tipos de lesões”.
Outros dois têm estado de saúde considerado grave, sendo que um deles “encontra-se entubado e sedado após ter sofrido queimaduras e ter sido intoxicado por fumaça”; já o segundo “está com uma bala alojada no ombro esquerdo e vai passar por tomografia para análise da forma de tratamento adequada”, informa o portal G1.
Já o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), disse que recebeu outros dois feridos e ambos estão conscientes, orientados, respirando espontaneamente e passando por avaliação médica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário