sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Polícia Civil prende estrangeiros envolvidos no tráfico de drogas na Praia de Iracema em ação da DCTD




















Ações da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), divulgadas hoje (21), em coletiva de imprensa, resultaram nas prisões de onze pessoas suspeitas de envolvimento no tráfico de drogas na Capital e na Região Metropolitana. Entre os capturados, estão três estrangeiros, que eram investigados pela comercialização de entorpecentes na Praia de Iracema, na Área Integrada de Segurança de Fortaleza 01 (AIS 01). Os trabalhos desenvolvidos pela divisão resultaram ainda nas apreensões de mais de 46 quilos de drogas e de armas de fogo, entre elas, um fuzil. Neste mês de setembro de 2017, a DCTD bateu o recorde de apreensões de armas, superando 2014, ano de criação da unidade especializada.
Hoje, no bairro Aldeota, Área Integrada de Segurança 01 (AIS 01) de Fortaleza, os policiais civis diligenciaram até um terreno baldio, onde investigações apontaram que o local seria utilizado para guardar entorpecentes. Uma busca foi feita na propriedade e os profissionais se segurança encontraram oito quilos de maconha prensada. O material foi encaminhado para a unidade especializada e as investigações permanecem no intuito de prender os proprietários da droga. Já nessa quarta-feira (20), após diligências acerca da comercialização de ilícitos, na “Comunidade das Quadras”, também na Aldeota, os policiais civis localizaram Elzidete Rodrigues da Silva (43) – sem antecedentes - quando este se preparava para realizar a entrega de aproximadamente um quilo de cocaína. Após a abordagem ao suspeito, a equipe policial seguiu até a residência do indivíduo, onde durante uma busca domiciliar, foi encontrado, debaixo de uma mesa, três tabletes de drogas, sendo dois de cocaína, pesando 2,1 kg; e um bloco de crack, pesando 1 kg. Ao ser indagado acerca da procedência dos entorpecentes, o suspeito se negou a informar. Todo o material e o homem foram conduzidos para a sede da DCTD.
Outra ação desencadeada pelos policiais civis, na última sexta-feira (15), foi a prisão de um grupo, composto por três estrangeiros – um colombiano, um peruano e um venezuelano – e dois brasileiros, que eram alvos de investigação por participarem do tráfico de drogas, nos bairros Praia de Iracema, Varjota, Meireles e adjacências (AIS 01). O primeiro a ser identificado foi o colombiano Alber Eduardo Pinto Bermudez (38) – conhecido por “Papito” ou “Chato” e sem antecedentes - que estava hospedado em um hotel, na Avenida Historiador Raimundo Girão. Com ele, estava outro comparsa, o venezuelano Jose Gregorio Gonçalez Marin (23) – sem antecedentes. Por meio de diligências, os policiais civis flagraram quando um terceiro envolvido, o peruano Simion Bejarano Tumbay (38) – sem antecedentes - entregava uma sacola contendo 4,2 kg de skunk (maconha com maior potencial ofensivo), para “Papito” e José Gregório, ainda na Praia de Iracema. Foi durante a ação criminosa, que a equipe da DCTD prendeu os três estrangeiros.Os suspeitos eram responsáveis por recrutar pessoas para atuarem na atividade ilícita, e por isso, agiam com dois brasileiros, Bruce Pigliapoco (24) – com antecedentes criminais por roubo e crime contra a administração pública; e Lucas de Lima Castro (22) – que responde por homicídio. Após a prisão do trio, os policiais seguiram até o imóvel, onde residiam os dois suspeitos. Chegando lá, Bruce entrou em luta corporal com os policiais, mas foi imediatamente contido. Na propriedade, foi apreendido 1 kg de maconha. O grupo foi encaminhado para a unidade especializada, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico.
Outra ação foi registrada na quinta-feira (14), quando foi apreendida grande quantidade de droga e armas de fogo. A ofensiva ocorreu após os policiais civis identificarem uma residência, que era utilizada como laboratório de drogas, no bairro Pici (AIS 06). Ao perceber a chegada da Polícia Civil, o suspeito empreendeu fuga pelos fundos do imóvel, que dava acesso a um matagal da região. Uma busca foi realizada na casa, onde foram encontradas várias drogas sendo preparadas para a venda. No total, foram apreendidos 21,4 kg de maconha, 13,9 kg de mineíta, 4,6 kg de crack, seis frascos de cloridrato de lidocaína; vários materiais utilizados para a preparação da droga, como prensa e balança de precisão; além de quatro armas de fogo, entre elas, um fuzil calibre 762 e um rifle calibre 44.
Grande parte do que foi apreendido, os profissionais de segurança encontraram armazenado em um quarto, na garagem da residência, que era mantido refrigerado. Foi necessário que os policiais arrombassem a porta para ter acesso ao local. Os policiais civis, agora, mantém as diligências, com o objetivo de prender os envolvidos na ação criminosa.
No mesmo dia, os policiais civis da especializada prenderam duas pessoas, suspeita de participarem de um grupo de traficantes, no município de Maranguape (AIS 12). O primeiro suspeito preso, identificado por Genezio Araújo de Abreu (27) - conhecido por "Gege" e com passagem pela Polícia por homicídio consumado e tentado e lesão corporal dolosa, foi visualizado, em sua residência, que era utilizada como ponto de venda de drogas. Com a permissão de "Gege", os policiais realizaram uma busca no imóvel. Inicialmente, nada foi encontrado. Contudo, os policiais insistiram nas buscas e os profissionais de segurança encontraram, sobre a porta da cozinha, uma madeira junto às telhas. Ao retirarem o objeto, a Polícia encontrou uma pistola calibre 380, com carregadores e munição. Em continuidade às buscas, os policiais perceberam que no reboco da parede, entre dois cômodos, havia um ponto onde foi localizado um quilo de cocaína.
Dando continuidade às diligências, os policiais chegaram a uma mulher, identificada por Francisca Naiara dos Santos (27) - conhecida por "Dada" e com passagem por tráfico de drogas - também residente em Maranguape. Lá, assim como na residência de "Gege", os policiais encontraram, no teto da sala, algumas petecas de crack embaladas; e seis pedras grandes de crack, que pesaram aproximadamente 150 gramas. Um inquérito policial foi instaurado e o dois foram indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Outros integrantes do grupo seguem sendo procurados pela Polícia Civil.
Na quarta-feira (13), em Messejana (AIS 03), a DCTD prendeu Elidio Ferreira Silva Filho (28) – conhecido por “Negão” e com passagens pela Polícia por tráfico de drogas e por “saidinha bancária” - quando este chegava em sua residência trazendo um carregamento de droga. Foi realizada uma abordagem, que resultou na apreensão de 420 gramas de cocaína. Uma vistoria foi feita na casa e mais 200 gramas, também de cocaína, foram encontradas, bem como uma balança de precisão e outros apetrechos. Por fim, no dia 12 de setembro, uma dupla foi presa na localidade de Icaraí, em Caucaia (AIS 11). O primeiro identificado foi o baiano, Wilithon da Silva Paranhos Junior (33) – com passagem por receptação. Ele é proprietário de uma barbearia e comercializava entorpecentes na região. Com as diligências, os policiais visualizaram quando ele recebeu uma encomenda de Humberto Holanda Cassundé Neto (36) – com passagem pela Polícia por porte ilegal de arma de fogo.
Após as prisões, os policiais civis seguiram até a residência de Wilithon, onde encontraram 190 gramas de maconha prontos para a comercialização. Em seguida, foram até a residência de Humberto, no bairro Canindezinho (AIS 09), em Fortaleza, onde foi encontrado um laboratório de drogas. Foram apreendidos 950 gramas de cocaína, uma prensa e vários objetos utilizados para a preparação dos entorpecentes. A dupla foi encaminhada para a sede da DCTD, onde foi realizado o flagrante.

Apreensões de armas
Até este mês de setembro, a DCTD apreendeu 69 armas de fogo. A quantidade supera o então recorde de apreensões, registrado nos doze meses de 2014, quando foram apreendidas 64 armas. O número mostra os bons resultados das ações desenvolvidas pela delegacia especializada, que neste ano, também já superou as apreensões de drogas de 2016. No primeiro semestre de 2017, foram 2,1 toneladas de drogas apreendidas, entre maconha, cocaína e crack. Já de janeiro a junho do ano passado, a delegacia especializada apreendeu cerca de 877 quilos de entorpecentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário