loading...

sábado, 24 de novembro de 2018

Polícia Civil descarta motivação política em homicídio durante ato político em Pacajus



A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) apresentou, nesta quinta-feira (22), os detalhes das investigações acerca do homicídio que vitimou Charlione Lessa Albuquerque (23), ocorrido no dia 27 de outubro deste ano, no município de Pacajus, Área Integrada de Segurança 13 (AIS 13). “Não houve nenhuma conotação política naquele crime”, enfatizou o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), delegado Jocel Dantas, em coletiva de imprensa para divulgar o caso. Dois adultos e um adolescente de 16 anos foram capturados e são apontados como partícipes do crime. A Delegacia Metropolitana de Pacajus reuniu provas materiais e testemunhais que serviram de base para solicitar a prisão temporária dos adultos, que foram cumpridas durante o curso das investigações.
Conforme o desenrolar das apurações de equipes da Delegacia de Pacajus, foi possível identificar os três suspeitos que teriam cometido o crime. No dia do fato, a vítima, que não possuía antecedentes criminais, participava de uma carreata de um candidato à presidência da República, quando foi atingida a tiros por uma pessoa, que se aproximou em um veículo e fugiu em seguida. Os levantamentos policiais revelaram que o menor de 16 anos foi o autor dos disparos que atingiram Charlione. Após o crime, o adolescente foi capturado por policiais civis, no dia 30 de outubro, três dias após o homicídio. Ele estava em uma residência e foi levado para delegacia, onde foi lavrado um ato infracional análogo ao crime de posse irregular de arma de fogo. Com ele, foram encontrados um revólver calibre 38, cinco munições, uma trouxinha e um cigarro de maconha. O revólver apreendido foi encaminhado para a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) para analisar se foi o mesmo utilizado no crime.
Os outros dois partícipes foram presos por força de mandados de prisão temporária. São eles: Francisco Edailton Ferreira Freitas (26), conhecido por “Gaia” e com antecedente criminal por homicídio; e Lucas Lima Girão (21), conhecido por “Nego” e com passagens por roubo, receptação e tráfico de drogas. As apurações demonstram que Edailton ficou responsável por conduzir o veículo e levar até o local do crime. Já Lucas estava no banco de trás do carro dos criminosos no momento do homicídio. Para o titular da Delegacia Metropolitana de Pacajus, Marcelo Pinheiro, a motivação para a morte de Charlione foi a disputa entre grupos rivais que duelam por territórios em Pacajus. “Em depoimento, os suspeitos confirmaram que não havia nenhuma ligação com questões políticas. Foi para demonstrar força e tomar o poder”, revela o delegado. De acordo com os levantamentos investigatórios, a vítima tinha envolvimento com um grupo criminoso e praticava delitos na região.
A Polícia Civil considera o caso elucidado com a identificação dos autores do crime e com provas suficientes que comprovam a participação do grupo na ação criminosa. O trio vai responder pelo crime de homicídio. “Nós já estamos preparando o pedido para a representação da prisão preventiva dos adultos, já que há indícios suficientes de autoria”, finaliza o delegado Marcelo Pinheiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário