loading...

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

WhatsApp diz que investiga denúncia sobre suposto disparo contra PT



O WhatsApp afirmou em nota nesta sexta-feira, 19/10, que está investigando um suposto esquema de campanhas de mensagens em massa contra o PT por meio do aplicativo, conforme denunciado pela Folha de S.Paulo na quinta, 18/10.
Segundo a reportagem em questão, empresas brasileiras que apoiam o presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL, teriam pago até 12 milhões de reais por contratos com agências digitais quepreveem o disparo de centenas de milhões de mensagens. O jornal afirma ainda que a prática é ilegal, “pois se trata de doação de campanha, vedada pela legislação eleitoral, e não declarada”.
Em comunicado enviado ao IDG Now!, a assessoria do WhatsApp destaca que já investiga os pontos denunciados pela Folha e aponta também que tem “proativamente banido centenas de contas” durante as Eleições 2018 no Brasil.
IDGNOW.COM.BR





















powered by Rubicon Project

“Temos tecnologia de ponta para detecção de spam que identifica contas com comportamento anormal ou automatizado, para que não possam ser usadas para espalhar spam ou desinformação”, afirma o porta-voz do WhatsApp no Brasil – o aplicativo pertence ao Facebook desde 2014, vale notar.

Imagens verdadeiras são minoria

Estudo recente realizado pela Agência Lupa em parceria com professores da USP e da UFMG aponta que imagens verdadeiras são minoria no WhatsApp. Segundo a pesquisa, que entre agosto e outubro analisou um total de 347 grupos monitorados pelo projeto Eleição sem Fake, da UFMG, apenas 4 (8%) das 50 imagens mais compartilhadas podem ser consideradas verdadeiras.

Limite WhatsApp

Recentemente, Bolsonaro afirmou que irá lutar para reverter o limite de encaminhamento de mensagens para 20 contatos de uma vez, adotado em julho pelo WhatsApp em uma tentativa de diminuir a disseminação de notícias falsas no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário