loading...

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Sete partidos já definiram candidaturas à presidência da República


Manuela d'Ávila é candidata pelo PCdoB
O PSOL e o PSTU formalizaram tanto os candidatos a presidente como a vice. A Rede, o PSDB e o Podemos escolheram os nomes para os dois cargos, mas realizam convenção nacional neste sábado (4) para oficializar a decisão.


O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB, anunciou que terá como companheira de chapa a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), que disputaria a reeleição. Segundo nota publicada no portal do PSDB, Alckmin destacou a importância da presença feminina no cenário político nacional. "É a vice dos sonhos", afirmou.
A definição da chapa do Podemos tirou da disputa presidencial o economista Paulo Rabello de Castro (PSC), que já havia sido aprovado na convenção nacional, no último dia 20 de julho. No início desta semana, a cúpula dos dois partidos fechou uma aliança, e Rabello será o candidato a vice do senador paranaense Álvaro Dias.
A Rede acertou uma coligação com o PV. A candidata Marina Silva terá como vice o ex-deputado Eduardo Jorge, que disputou a eleição presidencial de 2014. O presidente nacional do PV, José Luiz Penna, disse que a prioridade do partido é eleger deputados federais, mas destacou a identidade ideológica entre as duas siglas.
O PSOL e o PSTU saíram das convenções nacionais com a chapa completa. O PSOL vai disputar a eleição presidencial com Guilherme Boulos e Sonia Guajajara, em uma aliança com o PCB. Já o PSTU lançou uma chapa puro-sangue: Vera Lúcia e Hertz Dias.
O MDB confirmou nesta quinta-feira (2) a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles a presidente da República. Após a convenção do MDB, Meirelles disse ter preferência por uma mulher na composição da sua chapa. A direção do partido negocia com a senadora Marta Suplicy (MDB-SP).

Na última quarta-feira (1º), o PCdoB aprovou a candidatura de Manuela D'Ávila à Presidência da República. Ao discursar como candidata, Manuela disse que a gestão de Michel Temer “é um governo de traição ao Brasil” e que sua candidatura é para barrar o desmonte do Estado e a retirada de direitos.

O PT se reunirá em São Paulo, nesta sábado. A tendência é que o partido formalize a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF) decidir se Lula poderá concorrer. O julgamento deverá ocorrer antes do dia 15 deste mês, prazo final para registrar as candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Para sábado (4) está marcada também a convenção do Novo, que deve formalizar a candidatura de João Amoêdo a presidente da República.
O Patriota também se reúne no sábado e, segundo nota publicada no portal do partido, entre os pré-candidatos, prevalece o nome do deputado federal Cabo Daciolo (RJ). O PSB, o PRTB e o PPL realizam convenção nacional neste domingo (5), mas somente os dois últimos devem lançar candidatos a presidente - Levy Fidelix e João Vicente Goulart, respectivamente.
Fonte: Agência Brasil
Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário