15747594_1781720312088077_729106462198533856_n
Braitt (de camisa azul), com a turma de odontólogos.
O dentista e professor da Faculdade de Ilhéus, Antonio Henrique Braitt, usou o seu perfil na rede social Facebook, para tecer duras críticas em relação ao tratamento que recebeu no Bar Bataclan, em Ilhéus, no mês passado. Acompanhe na íntegra o relato revoltante do médico Dr. Antônio Henrique Braitt.   
Um conselho ao responsável pela noite do Bataclan: Há algum tempo fui a uma festa dos meus alunos da Faculdade de Ilhéus. Como a festa era de jovens e a música estava muito alta, pedi um litro de Whisky, um filé e fiquei no reservado. De repente um senhor abriu a porta e deixou aberta. Reclamei e ouvi o mesmo dizer: “Sou o dono e deixo a porta como quiser”. Engoli. No sábado passado, voltei ao Bataclan. Na porta, este senhor me disse, bem seco: “Está havendo um show e estamos cobrando cache artístico. Se quiser só temos mesa no fundo. Devido a esta outra grossura, sem dizer nada, dei meia volta e fui a outro local onde fui tratado muito bem. Rapaz, assim você vai fechar rapidinho“.