Em nota divulgada na última sexta-feira (16), o próximo prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD), disse que respeita a autonomia da Câmara de Vereadores para legislar sobre a remuneração dos cargos políticos do município.

Ele se manifestou após o Legislativo aprovar os projetos que propõem aumento salarial para o prefeito, vice-prefeito, secretários e vereadores de Ilhéus.

Após a divulgação da nota, o prefeito Jabes Ribeiro (PP) procurou a imprensa para tentar enquadrar o sucessor. JR disse ao Jornal Bahia Online que Marão deve dizer de forma clara se é a favor ou contra o reajuste para o Executivo. Caso contrário, vai vetá-lo, preservando apenas o do Legislativo.

Comentário do Blog.

Como pode um prefeito que tem 80% de desaprovação e foi chutado pelo eleitorado querer enquadrar o sucessor antes mesmo do início da próxima gestão? Isso mostra a audácia, a empáfia e o modo de fazer política do governo Jabes.

Tudo leva a crer que o governo Jabes colocou uma “casca de banana” no caminho do próximo prefeito, levando em consideração que alguns vereadores muito ligados ao prefeito atual querem que Mário não se posicione contra o aumento. A ideia é desgastar Marão antes do começo do mandato.

Recentemente, no “apagar das luzes”, o governo Jabes aumentou o valor de muitos contratos da prefeitura, sem se dar ao trabalho de apresentar justificativas plausíveis. Veja alguns exemplos: aquiaquiaqui e aqui.

Não há notícia de que o governo Jabes tenha procurado o próximo gestor para ouvi-lo sobre os reajustes.

A gestão atual também não consultou os representantes da próxima sobre o contrato milionário da iluminação pública. O governo Jabes decidiu que a modernização do setor vale investimento de um milhão e duzentos mil reais.

Além disso, o governo Jabes deixou para o fim do mandato a nomeação dos servidores aprovados no concurso desse ano, o que reservou a maior parte do impacto sobre a folha salarial para a próxima administração.